Publicidade

17 janeiro 2023

Embraer pretende impulsionar seus planos de expansão em solo indiano

Com a expectativa de que a Índia gaste US$ 130 bilhões na modernização de suas Forças Armadas, a Embraer, principal fabricante brasileira no segmento de defesa e segurança, planeja aumentar as parcerias locais



Por Shashank Mattoo - Portal Mint

Com a expectativa de que a Índia gaste cerca de US$ 130 bilhões na modernização de suas Forças Armadas nos próximos anos, a Embraer, importante empresa brasileira de aeronáutica e defesa, planeja aumentar as parcerias locais em uma tentativa de ajudar as ambições de produção e industrialização da Índia e aumentar as exportações globais de produtos de Defesa do país.

“Além de impulsionar a fabricação local do país, a Embraer também pode ajudar a Índia a se tornar um fornecedor crítico na cadeia de suprimentos global por meio de suas ofertas em unidades aeroespaciais”, disse Caetano Neto, executivo sênior da Embraer, em resposta às perguntas do Portal Mint. O objetivo, acrescentou Neto, é aumentar as capacidades industriais da Índia e, ao mesmo tempo, ajudá-la a alcançar o status de exportador global de produtos de Defesa.

A Embraer, fundada em 1969, é a terceira maior fabricante de aeronaves civis depois da Boeing e da Airbus. A empresa também construiu presença no mercado de aviação de defesa com vendas para países da Otan como Portugal, Hungria e Holanda, entre outros.

A Embraer já garantiu alguns pedidos de defesa da Índia. Os jatos Legacy 600 da empresa são usados ​​pela Força de Segurança de Fronteira e pela Força Aérea da Índia (IAF) no transporte Vip de altos funcionários do governo. Além disso, a empresa brasileira também contribuiu para o desenvolvimento do sistema de radar aerotransportado AWACS (Airborne Early Warning and Control System) da IAF, versão indiana do Embraer EMB-145 AEW&C. A empresa também está em negociações para vender à IAF sua aeronave de transporte militar C-390 Millennium, principalmente para uso na região norte da Índia.

Caetano Neto também expôs os planos futuros da Embraer. Primeiro, a empresa espera vender à Índia sua aeronave de ataque leve multifuncional, o A-29 Super Tucano. Neto acredita que esta plataforma será atraente para a IAF, Marinha Indiana, Guarda Costeira e Forças de Segurança de Fronteira, como a Polícia de Fronteira Indo-Tibetana (ITBP) e a Força de Segurança de Fronteira (BSF). Esta plataforma é usada atualmente pelas Filipinas, Indonésia, Líbano e várias Forças Aéreas latino-americanas. A Embraer também espera usar sua experiência em Sistemas de Radar para ajudar a Índia a administrar suas fronteiras terrestres e costeiras.

“A Índia é um mercado importante para nós e estamos ansiosos para estabelecer parcerias locais no país que possam impulsionar ainda mais as indústrias e capacidades de defesa da Índia”, disse Neto em resposta a uma pergunta sobre a disposição da Embraer de transferir tecnologia para parceiros indianos.

A Embraer, acrescentou, está “em negociações com várias empresas indianas para possíveis parcerias não apenas para os requisitos das Forças indianas, mas também para atender ao mercado global”.

“Vemos a Índia não como um cliente, mas como um parceiro de negócios promissor”, disse Neto.

Taurus Armas


Nos últimos anos, a relação de Defesa entre a Índia e o Brasil cresceu significativamente. Portal Mint havia informado anteriormente sobre os planos do fabricante Taurus de estabelecer uma fábrica em parceria com a Jindal Defense na Índia. A Taurus, uma empresa brasileira, deixou claro que está aberta à transferências de tecnologia de defesa e reforçando as ambições de produção e industrialização da Índia. A Taurus, que deve iniciar a produção de suas pistolas e carabinas em uma fábrica com sede em Haryana neste mês, delineou seus planos para construir o ecossistema de defesa doméstico, adquirindo em grande parte componentes nativos.

Tradução e Adaptação: Defesa Brasil Notícias
FONTE: Portal Mint

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Leia também