Publicidade

19 agosto 2022

Testes do Fz IMBEL 5,56 IA2 com Sistema de Controle de Tiro Inteligente


Com a presença de oficiais do Estado-Maior do Exército e integrantes do Gabinete de Segurança Institucional da Presidência da República (GSIPR) foram realizados, no dia 17 de agosto, testes do sistema de controle de tiro SMASH 3000 da empresa israelense Smart Shooter acoplado ao Fz IMBEL 5,56 IA2 adotado pelo Exército Brasileiro como armamento padrão desde 2013, também adaptável à versão no calibre 7,62 da linha de Fuzis e carabinas IA2 por meio de trilhos Picatynni. A rodada de testes foi conduzida pelo Comando de Operações Terrestres (COTER) no estande de tiro General Darcy Lázaro localizado no Setor Militar Urbano da capital federal.

O dispositivo testado maximiza a eficácia do armamento contra alvos inimigos, minimizando baixas amigas e danos colaterais. O “core” do sistema de tiro inteligente reside em seu aparelho de pontaria, cuja composição traz funções presentes em computadores e integra sistemas e equipamentos diversos, tais como: lentes e filmadora infravermelha, filtro que permite executar o tiro sob condições de baixa visibilidade e à noite, sendo todas as informações processadas por um computar interno, além de outros. Além disso, o SMASH 3000 é dotado de alta conectividade e conta com a capacidade de filmar e armazenar os tiros realizados por períodos de até 30 dias, além de realizar cálculos balísticos de forma ágil e confiável.

Para a realização do tiro, basta que o atirador faça a visada no alvo para marcá-lo e deixar que o sistema faça todo o trabalho de cálculo. Em seguida, o atirador, com o gatilho pressionado, leva o ponto de pontaria secundário exibido no display até uma elipse que aparece sobre o alvo selecionado. Assim que esses dois elementos se encontram, a arma dispara de forma autônoma, resultando num tiro extremamente preciso.

A harmonização do fuzil com o SMASH 3000 é realizada uma única vez e o sistema calcula a precessão para os alvos em movimento, bem como avalia a distância com base na imagem do objeto que o atirador selecionou. Caso ocorra alguma mudança na imagem registrada, o sistema é desarmado a fim de prevenir danos colaterais. O tiro noturno é baseado, unicamente, na luz residual, não havendo emissão de nenhum sinal.

A parceria entre a IMBEL e a Smart Shooter aumentará significativamente a precisão e a letalidade dos Fz 5,56 e 7,62 IA2 no engajamento de alvos estáticos e em movimento, no solo e no ar, dia e noite, potencializando a eficácia de atuação operacional das Forças Armadas e Órgãos de Segurança Pública.

FONTE: IMBEL

3 comentários: