Sistema de Armas UT30-BR não foi reprovado pelo Exército - Entenda o que ocorreu


Por 
Paulo Roberto Bastos Jr.* - Revista Tecnologia & Defesa


Desde 2016, em intervalos alternados, o sistema Guarani UT30BR (Veículo + Armamento + Munição) está em avaliação pelo CAEx e os testes seguiram rigorosamente os protocolos padrão do EB, de acordo com os Requisitos Técnicos Operacionais (ROB), definidos dentro do Prg EE GUARANI.

Nos testes foram utilizados uma VBTP-MSR 6×6 Guarani UT30BR e foram simuladas diversas situações operacionais previstas no ROB 1/11 Viatura Blindada Transporte de Pessoal – Média Sobre Rodas, de 20 de abril de 2011, incluindo sessões de tiro utilizando a munição da CBC, pois os testes buscavam avaliar o sistema como um todo.

Os testes terminaram em outubro de 2019 e deram origem ao Relatório de Avaliação Complementar Nº042/20-CAEX, que foi homologado pela Portaria Nº082-DCT.

ARES Aeroespacial e Defesa


Por se tratar de um relatório reservado, não possível sua publicação, e o mesmo sequer foi entregue a Diretoria de Fabricação (DF), para que o mesmo seja avaliado. Porém tem que se deixar claro que o resultado de “NÃO-CONFORME” não quer dizer que o sistema foi “reprovado” ou mesmo que ele esteja sob risco. O EB, assim como todos os exércitos do mundo, utiliza um conceito de Gestão do Ciclo de Vida dos Sistemas e Materiais de Emprego Militar desde de 1995 e sua versão atual, a EB10-IG-01.018 de 2016, deixa claro a função da avaliação de produto como uma ferramenta de apoio a decisão para o processo decisório da aquisição de um novo equipamento, porem é apenas um dos elementos do processo e, principalmente, os conceitos de não conformidade é muito diferente de defeito ou falha.

Nas palavras do General de Brigada TALES Eduardo Areco VILLELA, Diretor da DF, isso fica melhor explicado: “As não conformidades encontradas na avaliação estão sendo estudadas pela DF, a qual mantém contato com as empresas IVECO e ARES para implementação de medidas de ordem técnica que possam sanar as poucas alterações apresentadas“.

Pelo que pudemos apurar, mais de 90% do sistema foi aprovado, sendo que aquilo que foi colocado como “NÃO-CONFORME” envolve problemas referentes ao veículo, a munição e o SARC, sendo a maioria de fácil resolução, ou seja, o objetivo do CAEx é confirmar se o produto realmente atende aquilo que foi projetado, e se isso não ocorre, como foi o caso em algumas situações, servir como uma ferramenta para auxiliar suas correções.

Só para constar, o SARC REMAX também teve não conformidades em sua avaliação inicial, assim como a torre PLATT e praticamente todos os produtos avaliados no CAEX, mas todos foram corrigidos e hoje o REMAX está plenamente operacional dentro do EB.

O EB está investindo muito tempo e esforço para modernizar sua força e não vai parar diante dos primeiros obstáculos, ou seja, o SARC UT30BR será novamente avaliada e, em breve, estará plenamente operacional nas Brigadas de Infantaria Mecanizada.


(Leia matéria na íntegra aqui)




Sobre o Autor


* Paulo Roberto Bastos Jr.
Engenheiro de automação e Pesquisador militar, especialista em blindados e forças motomecanizadas da América Latina e Caribe.
 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

DESTAQUE

Terceira aeronave KC-390 Millennium é incorporada à frota da FAB

Aeronave de matrícula FAB 2855 pousou neste sábado (27/06), na Ala 2, em Anápolis (GO) A Força Aérea Brasileira (FAB) recebeu, neste...