Publicidade

30 agosto 2022

Disparo real bem-sucedido de míssil Meteor pelo caça Saab Gripen E

A Saab realizou recentemente o primeiro teste de disparo com o avançado míssil Meteor BVRAAM (Beyond Visual Range Air-to-Air Missile) no Gripen E com um resultado bem-sucedido de ponta a ponta no alvo



Por Redação Forças de Defesa

O míssil Meteor foi lançado do Gripen E a uma altitude de aproximadamente 16.500 pés (5.032 metros) acima da faixa de teste de Vidsel, no norte da Suécia.

“É muito bom concluirmos agora o primeiro teste de disparo com o Meteor do Gripen E. É um marco muito importante tanto para o programa quanto para a Saab. Isso mostra que a capacidade de armamento do Gripen está na vanguarda absoluta”, diz Mikael Olsson, chefe de teste e verificação de voo da Saab.

O Meteor da MBDA é um BVRAAM inigualável que pode operar nos ambientes mais contestados. Ele pode engajar com sucesso uma ampla variedade de alvos, desde aviões de combate até pequenos veículos aéreos não tripulados e mísseis de cruzeiro em alcances incomparáveis.

Míssil MBDA Meteor Beyond Visual Range Air-to-Air Missile (BVRAAM)

Gripen E testando míssil Meteor BVRAAM

“Este sucesso é uma grande demonstração da estreita parceria entre a MBDA e a Saab, que após muitos anos de cooperação ativa continua se fortalecendo. Este teste também mostra de forma excelente nossa capacidade conjunta de integrar rapidamente as capacidades de armas no novo Gripen E”, disse Jim Price, vice-presidente da MBDA na Europa.

O foco do programa de teste de voo para o Gripen E está no desenvolvimento e teste contínuos principalmente dos sistemas táticos e na integração de uma variação de armas, como o Meteor.

O programa Meteor é uma das colaborações de defesa mais bem-sucedidas da Europa e viu o Reino Unido, França, Alemanha, Itália, Espanha e Suécia se unirem para criar este míssil revolucionário para combate aéreo. A Saab é parceira do programa Meteor em conjunto com o principal contratante MBDA UK.


Um comentário:

  1. Prevenir sempre é melhor que remediar!
    Temos um território continental e muitas aeronaves corregando drogas pesadas.
    Um ou dois abates já servem para prevenir futuros "transportes".

    ResponderExcluir