Publicidade

27 maio 2022

Embraer espera lucrar com reaproximação Cairo-Brasília

Fabricante brasileira de aeronaves Embraer espera vender sua aeronave de transporte militar KC-390 para a Força Aérea do Egito após o acordo de cooperação industrial assinado na semana passada entre Egito e Brasil


Embraer KC-390 Millennium do 1º/1º GT - Esquadrão Gordo - Foto: Luciano Porto/SPOTTER

De 20 a 22 de maio, a capital egípcia recebeu uma delegação ministerial e empresarial de alto nível do Brasil. Isso levou à assinatura de um memorando de entendimento entre Brasília e a Organização Árabe para a Industrialização do Egito (AOI), que integra o Ministério da Defesa do Egito. Além das transferências de tecnologia previstas nas áreas de tecnologia digital e inteligência artificial, o foco principal foi a defesa, o que foi uma boa notícia para várias empresas brasileiras apoiadas pela Câmara de Comércio Árabe-Brasileira.

À frente do grupo estava a gigante aeronáutica Embraer, que pretende vender sua aeronave de transporte militar KC-390 para a Força Aérea do Egito (EAF). Esta aeronave, que é operada pela Força Aérea Brasileira (FAB) e foi encomendada pelas Forças Aéreas de Portugal e da Hungria, concorre com o C-130 da empresa norte-americana Lockheed Martin, que tem uma carga útil superior a 20 toneladas. A fabricante brasileira de aeronaves espera anular o acordo alcançado em janeiro entre Washington e Cairo para a venda potencial de uma dúzia de C-130. Esse contrato, de US$ 2,2 bilhões, seria financiado pelo programa 
Foreign Military Sales (FMS), o programa de vendas militares estrangeiras dos EUA, e inclui também outros equipamentos.

Para selar o acordo com as equipes do tenente-general Abdel Moneim Al-Terras, Chefe da AOI, a delegação brasileira compareceu em peso. Era composta por Marcos Degaut, Secretário de Produtos de Defesa do Ministério da Defesa, brigadeiro Antonio Ferreira de Lima Jr., Diretor de Promoção Comercial (DEPCOM) do Ministério da Defesa, almirante Flávio Augusto Viana Rocha, Secretário Especial de Assuntos Estratégicos da Presidência, Antonio de Aguiar Patriota, 
Embaixador do Brasil no Egito e seu Adido de Defesa, coronel Ricardo Sergio de Souza.

Enquanto procura ativamente por acordos de compensação, Cairo está diplomaticamente fazendo todo o possível para aumentar suas transferências de tecnologia militar. Em fevereiro, foi assinado um acordo no valor de US$ 1,7 bilhão com a empresa sul-coreana Hanwha Defense para a produção local de sistemas de artilharia K9 Thunder.

Tradução e Adaptação: Defesa Brasil Notícias

Nenhum comentário:

Postar um comentário