06 agosto 2021

FAB realiza Demonstração Operacional

Evento, realizado no Rio de Janeiro (RJ), contou com a presença do Ministro da Defesa, Walter Souza Braga Netto, e comitiva



Nessa quarta-feira (04), a Guarnição de Aeronáutica de Santa Cruz (GUARNAE-SC) foi cenário de um encontro que uniu história e modelos de aeronaves da Força Aérea Brasileira (FAB). A Demonstração Operacional da FAB, no Rio de Janeiro (RJ), contou com a presença do Ministro da Defesa, Walter Souza Braga Netto, e comitiva; bem como do Comandante da Aeronáutica, Tenente-Brigadeiro do Ar Carlos de Almeida Baptista Junior; do Comandante de Preparo, Tenente-Brigadeiro do Ar, Sérgio Roberto de Almeida; e de Oficiais-Generais da Marinha do Brasil, do Exército Brasileiro e da Força Aérea Brasileira.


Fizeram parte da programação um desfile aéreo das aeronaves KC-390, F-5M, A-1M e A-29; o lançamento de bombas e de rajadas de canhões e, ainda, uma exposição estática de Esquadrões da FAB no lendário hangar que servia de abrigo ao Zeppelim, um marco para a aviação no Brasil.

“Desde sua criação, em janeiro de 1941, a Força Aérea Brasileira honra o exemplo de seu patrono, o Marechal do Ar Eduardo Gomes, segue o destemor dos pilotos do ‘Senta a Púa!’ e o altruísmo dos ‘voos da vida’ no transporte de órgãos, enfim, um rico acervo de serviços prestados pelos integrantes da FAB ao País”, ressaltou o Ministro Braga Netto.


Durante a cerimônia, o Comandante da Aeronáutica destacou o legado da Base Aérea de Santa Cruz para a Aviação de Combate da FAB. “Que possamos continuar colhendo os frutos dos exemplos deixados por nossos veteranos do 1º Grupo de Caça, expandindo ainda mais os valores de liberdade, democracia, profissionalismo e fé na missão, ao longo dos anos, em nosso querido Brasil”, pontuou o Tenente-Brigadeiro Baptista Junior.


O Comandante de Preparo reforçou que a Demonstração Operacional em Santa Cruz foi importante para mostrar como a FAB está capacitada para garantir a soberania do espaço aéreo brasileiro. “É uma oportunidade em que nós colocamos as nossas aeronaves de caça em missões operacionais fazendo lançamentos de armamentos e mostrando a prontidão dos nossos mecânicos, dos nossos especialistas de armamento e dos nossos pilotos em missões que requeiram uma situação de conflito bélico”, explicou o Tenente-Brigadeiro Sérgio Roberto de Almeida.


No evento, a exposição estática reuniu equipagens de diversos Esquadrões Aéreos, a exemplo dos aviões A-1M AMX, A-29 Super Tucano, F-5M Tiger, C-95M Bandeirante, C-130 Hércules, KC-390 Millennium, C-105/SC-105 Amazonas, H-36 Caracal, R-99, E-99, P-3AM Orion e RQ-1150. Na ocasião, a comitiva do Ministério da Defesa pôde conhecer de perto as funcionalidades dos aviões da FAB.

Desfile militar



Na cerimônia foi realizado também desfile da tropa formada por militares do Grupamento da Ala 12, Grupamento da Base Aérea de Santa Cruz (BASC), Grupo Logístico da Ala 12 (GLOG), Primeiro Esquadrão do Sétimo Grupo de Aviação (1º/7º GAv – Esquadrão Orungan), Terceiro Esquadrão de Transporte Aéreo (3º ETA – Esquadrão Pioneiro), Terceiro Esquadrão do Oitavo Grupo de Aviação (Esquadrão Puma – 3º/8º GAv), Primeiro Grupo de Aviação de Caça (1º GAvCa), Esquadrão de Segurança e Defesa (ESD), Primeiro Esquadrão do Primeiro Grupo de Comunicações e Controle (1º GCC), Destacamento de Controle do Espaço Aéreo de Santa Cruz (DTCEA-SC) e Policlínica da Guarnição de Aeronáutica de Santa Cruz (PC-SC).

Demonstração Operacional



A Demonstração Operacional (DEMOP) foi realizada pelo Comando de Preparo (COMPREP), Organização Militar da FAB cuja missão é preparar meios de Força Aérea sob sua responsabilidade a fim de manter a soberania do espaço aéreo e integrar o território nacional.

Do Palanque Operacional da Ala 12, a comitiva observou o lançamento de bombas empregadas pelas aeronaves A-29, F-5M e A-1M, além de rajadas de canhões de trinta milímetros empregadas pelas aeronaves A-1M. Na Demonstração Operacional das aeronaves de caça da FAB, armadas com duas bombas de 230 kg, cada equipagem de combate executou uma surtida, nos respectivos alvos, localizados no estande tático.

Torre Remota



Durante o evento, a comitiva visitou também a primeira Torre de Controle Remota da América Latina, que foi inaugurada em 2019. A estrutura instalada em Santa Cruz, na Ala 12, é composta por 16 câmeras fixas, sendo duas com a tecnologia Pan Tilt Zoom (PTZ), a partir da qual é possível o aumento da imagem em até 24 vezes, para dar mais nitidez a objetos localizados a quilômetros de distância. As câmeras PTZ podem, ainda, acompanhar aeronaves, automaticamente, ou bandos de pássaros e animais nas pistas de táxi e de pouso e decolagem, o que contribui para a redução do risco de colisão com a fauna.

Na torre remota, são realizadas ainda as mesmas atividades de controle de uma torre convencional: informação de voo, prestação do serviço de alerta, autorização para pousos, decolagens e cruzamentos, orientação para o taxiamento de aeronaves, além da disponibilização de quaisquer informações necessárias à condução segura das operações aéreas, como dados meteorológicos e informações aeronáuticas.


Fotos: Suboficial Johnson Barros / CECOMSAER, Sargento Neubar, Sargento Igor e Sargento Domingues / Ala 12
Vídeo: Lucas Nunes / CECOMSAER
Fonte: Agência Força Aérea, por Tenente Flávia Rocha
Edição: Agência Força Aérea - Revisão: Capitão Oliveira Lima

Nenhum comentário:

Postar um comentário