30 junho 2021

Exército Brasileiro realiza teste de integração do Sistema Gênesis da IMBEL® com Artilharia Autopropulsada

Chefe da Peça (M109 A5+BR) recebendo informações para o tiro no Terminal de Visualização da Peça (TVP)

Curitiba (PR) – no período de 15 a 18 de junho, o Exército Brasileiro realizou o teste de integração do Sistema Gênesis da Indústria de Material Bélico do Brasil - IMBEL® com meios blindados da Força Terrestre, nas instalações do 5º Grupo de Artilharia de Campanha Autopropulsado – 5º GAC AP (Curitiba-PR).

O evento contou com a presença dos Comandantes da 5ª Divisão de Exército – 5ª DE, Artilharia Divisionária da 3ª Divisão de Exército - AD/3, do 5º GAP AP e de integrantes da AD/1, AD/5, Parque Regional de Manutenção da 5ª DE - Pq R Mnt/5, Centro de Comunicações e Guerra Eletrônica do Exército - CComGEx, 5ª Companhia de Comunicações – 5ª Cia Com, da Fábrica de Material de Comunicações e Eletrônica (FMCE/ IMBEL®) e da Empresa Sigma Delta.

Os testes foram conduzidos pela AD/3, dando continuidade ao Termo de Execução Descentralizada (TED) de integração, visando ratificar as soluções que a FMCE apresentou para a estrutura de comunicações necessárias para a operação com os equipamentos rádios de dotação das viaturas dos GAC AP.

O Sistema Gênesis de Coordenação e Direção de Tiro é um sistema computadorizado nível Brigada, que objetiva substituir os métodos tradicionais, de forma a atender às necessidades de apoio de fogo das armas de Infantaria, Cavalaria e Artilharia.

Dotado de equipamentos robustecidos, apropriados para o emprego em campanha, o sistema possibilita maior precisão e um expressivo ganho de velocidade no processamento das missões de tiro, permitindo que o comandante intervenha no combate pelo fogo no momento oportuno e com munições e volumes adequados.

Computador Tático (COTAT) e a Central de Interoperabilidade Modular (CIM-2000) fabricada pela FMCE/IMBEL

Esse sistema torna o apoio de fogo contínuo e preciso, realizando a centralização de todas as unidades de tiro que estão sob seu controle operacional. Além disso, o Sistema Gênesis é flexível e modular, permitindo a redistribuição de seus módulos em função das necessidades táticas.

Inteiramente em português e contando com interfaces intuitivas, ele constitui uma valiosa ferramenta de adestramento e instrução, seja no terreno ou em sala de aula.

Testes preliminares no M109 realizados pela FMCE/IMBEL e as empresa parceiras

O Sistema Gênesis foi, inicialmente, desenvolvido para atender as necessidades da Artilharia de Campanha, todavia, com a recente aquisição pelo Exército Brasileiro das Viaturas Blindadas de Combate Obuseiro Autopropulsado (VBC OAP) M109 A5+BR, foi celebrado o TED nº 18-EME-069-01, de 11 de outubro de 2018, entre o Comando do Exército e a IMBEL®, objetivando a integração com a artilharia autopropulsada.

À FMCE coube a execução dos trabalhos dessa integração, aonde vários testes, simulações e exercícios no terreno, com ou sem tiro real, vêm sendo realizados.

Durante os últimos testes de integração realizados em março do corrente ano (Formosa-GO), verificou-se a oportunidade de melhoria na adaptação de equipamentos rádio da empresa Harris às viaturas Agrale Marruá, VBTP M113 e M577, em virtude da nova configuração e solução de redes rádios encontrada para a adequada transmissão de dados.

Foto oficial do Exercício – Gen Penteado, Gen Paixão, Gen Marto e participantes do Exercício

A FMCE empregou operacionalmente, pela primeira vez, a sua Central de Interoperabilidade Modular (CIM-200), sendo todas as soluções apresentadas bem-sucedidas e consideradas imprescindíveis para a continuidade do TED de integração do Sistema Gênesis às VBC OAP M109 A5+BR.

FONTE: IMBEL

Nenhum comentário:

Postar um comentário