20 maio 2021

SOCOM seleciona 5 protótipos para demonstração no programa Armed Overwatch


O Comando de Operações Especiais dos EUA concedeu um total de US$ 19,2 milhões a cinco empresas para demonstrações de protótipos como parte do esforço Armed Overwatch para comprar uma aeronave de baixo custo para fazer vigilância e ataques em locais austeros.

De acordo com um aviso de contrato de 14 de maio, as aeronaves selecionadas para prosseguir são:


A demonstração do protótipo ocorrerá na Base Aérea de Eglin, Flórida, e deverá ser concluída até março de 2022, afirma o aviso. Se o projeto do protótipo for bem-sucedido, uma empresa pode ser solicitada a fornecer uma proposta para um contrato de produção subsequente.

O SOCOM propôs o programa Armed Overwatch na sequência do experimento de ataque leve da Força Aérea dos EUA e planos para a seleção para substituir a atual frota U-28 Draco. O comando quer comprar cerca de 75 aeronaves para voar em apoio aéreo aproximado, ataque de precisão e operações especiais ISR em ambientes austeros e permissivos.

O chefe do Comando de Operações Especiais da USAF, Tenente-General James C. “Jim” Slife disse em fevereiro que deseja aquisições no ano fiscal de 2022. “Podemos fazer isso com um risco relativamente baixo, com base no que vimos dos fornecedores que indicaram que pretendem trazer plataformas para demonstrar para nós nos próximos meses”, disse na ocasião.

O Congresso, no projeto de lei fiscal de política de defesa de 2021, impediu o SOCOM de comprar aeronaves, mas permitiu que o comando avançasse para a demonstração de voo.

“Acho que o Congresso está exercendo de forma adequada e prudente seu papel de supervisão”, disse Slife. “Eu veria isso como um empreendimento de menor risco do que talvez alguns encarregados de supervisão, mas o fato de que vemos de forma diferente não significa que eles estão errados.”

O chefe da SOCOM, general Richard D. Clarke, disse ao Comitê de Serviços Armados do Senado em março que a vigilância armada é necessária porque em “muitas áreas remotas, os recursos de inteligência, vigilância, reconhecimento e apoio aéreo aproximado são limitados e têm um custo elevado”.

FONTE: Air Force Magazine, via Poder Aéreo

Nenhum comentário:

Postar um comentário