19 fevereiro 2021

Líderes suecos da defesa pressionam oferta do Gripen da Saab para a Finlândia


COLOGNE, Alemanha – Altos funcionários da defesa sueca deram seu peso na oferta da Saab pela competição multibilionária de caças HX na Finlândia, argumentando que a aeronave Gripen permitiria uma cooperação sem precedentes entre os dois países para impedir um hipotético ataque da Rússia.

A corrida finlandesa é uma das duas competições de aeronaves de alto custo na Europa – a Suíça sendo a outra – onde os principais fornecedores de ambos os lados do Atlântico estão disputando uma posição. A Finlândia solicitou ofertas finais até o final de abril da Airbus para o Eurofighter; Dassault para o Rafale; Boeing para o Super Hornet; Lockheed Martin para o F-35; e Saab para o Gripen E/F.

Helsinque orçou cerca de US$ 12 bilhões para o programa.

O ministro da Defesa sueco, Peter Hultqvist, disse que a competição de aeronaves acontece durante uma “deterioração da situação de segurança” ao redor do Mar Báltico, que ele atribuiu à flexibilização militar russa. Ele estruturou uma maior cooperação de defesa entre os países escandinavos como um pré-requisito para enfrentar os “movimentos agressivos” de Moscou.

“A defesa aérea é uma parte vital disso”, disse Hultqvist durante uma coletiva de imprensa online em 16 de fevereiro.

O brigadeiro general Anders Persson, vice-chefe sueco da Força Aérea, apontou a Suécia e a Finlândia como pontos potenciais de incursão para as forças russas. Aviões adversários poderiam entrar em seu espaço aéreo em grande número, se beneficiando da longa orientação nordeste dos países, disse ele.

Nesse caso, a frota aérea finlandesa mais exposta poderia recuar para o oeste em bases na vizinha Suécia, um feito que seria mais facilmente realizado se os dois países tivessem o Gripen, argumentou Persson.

“Seremos como uma força aérea com dois comandantes”, disse ele.

O CEO da Saab, Micael Johansson, acenou com a perspectiva de uma cooperação industrial aprimorada com empresas finlandesas, especialmente porque o cliente teria uma função no desenvolvimento de novos recursos no Gripen.

“Essa aeronave tem uma arquitetura que a torna atualizável em muito pouco tempo”, disse ele.

Johansson também elogiou as capacidades de outra aeronave: o avião de alerta antecipado e espião GlobalEye, que a Saab está oferecendo à Finlândia para o programa de modernização militar do país. Os sensores da aeronave anulariam essencialmente as características furtivas de aeronaves de ataque, afirmou ele.

Os fabricantes de aviões de combate têm feito de tudo para anunciar suas aeronaves nas competições finlandesa e suíça, geralmente com a ajuda de seus respectivos governos. A oferta do Gripen da Saab foi eliminada da corrida suíça em 2019 porque a versão “E” do avião não estava totalmente pronta para o regime de demonstração de voo do governo suíço na época.

No entanto, a Saab ainda aposta na expansão internacional liderada pela venda do Gripen para o Brasil, disse Johansson.

A Noruega, o vizinho mais a oeste da península escandinava, está atualizando sua Força Aérea com F-35s.

Saab Gripen E e GlobalEye

FONTE: Defense News, via Poder Aéreo

Nenhum comentário:

Postar um comentário