Navio da US Navy abate drone com laser de alta potência

O teste bem-sucedido do navio de guerra anfíbio USS Portland é um grande passo rumo às ambições de armas de energia dirigidas da Marinha dos EUA



O USS Portland, LPD da classe Santo Antonio, abateu com sucesso um pequeno drone usando sua nova arma de energia dirigida a laser. O navio foi descoberto pela primeira vez com o sistema instalado ao deixar seu porto em San Diego, Califórnia, em dezembro de 2019, e o site americano The War Zone foi o primeiro a relatar.


A frota do Pacífico da Marinha dos EUA anunciou o teste da arma a laser do Portland, formalmente conhecida como Laser Weapon System Demonstrator (LWSD) Mk 2 Mod 0, em 22 de maio de 2020.

O teste ocorreu em 16 de maio em um local não especificado no Oceano Pacífico. A Marinha descreveu o evento como “a primeira implementação em nível de sistema de um laser de estado sólido de classe de alta energia”, mas não disse se era a primeira vez que o navio disparava a arma.

“O Demonstrador do Sistema de Armas a Laser de Estado Sólido é uma capacidade única que o Portland obtém para testar e operar para a Marinha, enquanto abre caminho para futuros sistemas de armas”, disse o capitão Karrey Sanders, comandante do Portland, em comunicado. “Ao realizar testes avançados no mar contra UAVs (veículos aéreos não tripulados) e pequenas embarcações, obteremos informações valiosas sobre as capacidades do Demonstrador do Sistema de Armas a Laser em Estado Sólido contra ameaças em potencial”.

A Northrop Grumman desenvolveu o LWSD Mk 2 Mod 0 para a Marinha como parte do programa Solid-State Laser Technology Maturation (SSL-TM) e o entregou a San Diego para instalação no Portland no final de 2019. O serviço havia anunciado que o navio da classe San Antonio seria o primeiro a transportar esta arma a laser em 2018 e planejava realizar os primeiros testes no mar até o final de setembro de 2019.

A Marinha espera que o LWSD Mk 2 Mod 0 da classe de 150 quilowatts forneça principalmente aos navios uma linha de defesa adicional contra aeronaves não tripuladas e enxames de pequenos barcos. O laser também pode atuar como um ofuscador, cegando sensores ópticos e buscadores. O sistema completo pode usar suas próprias câmeras de vídeo integradas, que são usadas para rastrear alvos e apontar a arma, para conduzir a vigilância também.

O programa SSL-TM é apenas um dos quatro programas ativos em que o serviço está trabalhando como parte da Família de Sistemas a Laser da Marinha, que, esperançosamente, servirá como trampolim para armas laser mais poderosas e capazes no futuro.

O destróier USS Dewey, da classe Arleigh Burke, agora também está equipado com o que parece ser uma versão inicial do sistema Optical Dazzling Interdictor, Navy (ODIN), outro desenvolvimento de energia naval direcionada.

Vale a pena notar que esta não é a primeira vez que a Marinha instala um sistema operacional de armas a laser em um navio. O USS Ponce transportou o sistema de armas a laser AN/SEQ-3 (LaWS) enquanto estava desdobrado no Oriente Médio entre 2014 e 2017.

A Northrop Grumman desenvolveu o LaWS, bem como o Demonstrador Marítimo a Laser (MLD), o que ajudou a informar o desenvolvimento do LWSD Mk 2 Mod 0. Sendo da classe de 150 quilowatts, a nova arma a laser é significativamente mais poderosa do que o MLD da classe de 15 quilowatts e o AN/SEQ-3 da classe de 30 quilowatts.

“Com essa nova capacidade avançada, estamos redefinindo a guerra no mar para a Marinha”, disse o capitão de Portland, Sanders. Este teste bem-sucedido é certamente um passo emocionante para as ambições de energia direcionadas da US Navy.



FONTE: Poder Naval

Nenhum comentário:

Postar um comentário

DESTAQUE

Primeiro caça Gripen da FAB já está a caminho do Brasil

Primeiro Gripen E da Força Aérea Brasileira – Foto: Saab O primeiro caça F-39 Gripen E brasileiro já deixou a Suécia a bordo de um navio mer...