GDDN impulsiona o desenvolvimento do Gripen E/F no Brasil


O GDDN (Gripen Design and Development Network), o centro de todo o desenvolvimento do Gripen no Brasil, completará três anos este mês. Localizado nas instalações da Embraer em Gavião Peixoto, a instalação do GDDN foi fundada pela Saab e pela Embraer em novembro de 2016, juntamente com outros parceiros brasileiros como AEL Sistemas, Atech, Akaer e a Força Aérea Brasileira.

O programa Gripen é mais do que apenas um aumento da capacidade operacional da Força Aérea Brasileira (FAB). Também representa um enorme salto tecnológico para a indústria de defesa brasileira através do extenso programa de transferência de tecnologia que permitirá que caças supersônicos sejam desenvolvidos, produzidos e mantidos no Brasil. O GDDN não apenas desenvolve e fabrica o Gripen, mas também cria simuladores e infraestrutura adequada, necessários para um processo de desenvolvimento de caças tranquilo.

O Programa de Transferência de Tecnologia começou em outubro de 2015, quando mais de 100 engenheiros brasileiros receberam treinamento teórico e prático na Suécia. A maioria desses engenheiros retornou ao Brasil para trabalhar no GDDN.

As quatro etapas pelas quais todos os engenheiros e funcionários do GDDN passam são: treinamento teórico, programas de pesquisa e tecnologia, treinamento prático na Suécia e trabalho de desenvolvimento e produção. O objetivo do GDDN é ter mais de 350 especialistas brasileiros (engenheiros, técnicos e operadores de montagem) treinados na Suécia até o final do Programa de Transferência de Tecnologia em 2024. O programa envolve mais de 60 projetos de compensação e busca desenvolver, fabricar e entregar 36 caças Gripen E/F à FAB.

Além do Gripen E, o GDDN também é responsável pelo desenvolvimento da maior parte do Gripen F (biposto). De fato, o primeiro Gripen F está sendo desenvolvido exclusivamente para a Força Aérea Brasileira por engenheiros do GDDN, com o apoio da Saab.

“O GDDN é um legado, um ativo que permanece para a Força Aérea Brasileira. Quero ver o primeiro voo do Gripen aqui em Gavião Peixoto”, diz Santosh Miadaira Hamza, gerente de programas do Gripen na Embraer.

Atualmente, o GDDN possui mais de 120 engenheiros trabalhando no programa de desenvolvimento do Gripen no Brasil.

No futuro, o GDDN também terá um Centro de Teste de Voo com equipamentos de última geração.

FONTE: Gripen Blog via Poder Aéreo

Nenhum comentário:

Postar um comentário

DESTAQUE

Primeiro caça Gripen da FAB já está a caminho do Brasil

Primeiro Gripen E da Força Aérea Brasileira – Foto: Saab O primeiro caça F-39 Gripen E brasileiro já deixou a Suécia a bordo de um navio mer...