Bombardeiro H-6K da China deverá ser armado com armas hipersônicas

Bombardeiro H-6K

O principal objetivo da missão do bombardeiro H-6K da China é atacar pontos estratégicos em territórios inimigos, revelou a emissora estatal chinesa, levando especialistas a prever que o avião de combate poderia eventualmente ser armado com armas hipersônicas que podem destruir centros militares hostis a 3.000 quilômetros de distância em poucos minutos.

Juntamente com os caças furtivos J-20, os H-6Ks podem devastar a capacidade de combate do inimigo antes mesmo de uma guerra começar, disseram analistas.

“Em uma guerra, nosso principal objetivo é lançar ataques às posições profundas e vitais de um inimigo, paralisando suas instalações. É nisso que nos destacamos especialmente”, disse o piloto Li Ping do H-6K, à China Central Television (CCTV).

Enquanto o H-6K não é um avião de combate furtivo, nem tem uma excelente velocidade para penetrar profundamente em território hostil, é equipado com armas muito avançadas, incluindo mísseis de cruzeiro lançados pelo ar, permitindo-lhe atacar alvos distantes, disse Wang Ya’nan, editor-chefe da revista Aerospace Knowledge, ao Global Times na terça-feira.

“O H-6K pode permanecer dentro de uma zona segura, lançar seus mísseis que podem atingir alvos a 2 mil quilômetros de distância”, disse Wang, observando que esses mísseis são difíceis de interceptar devido à sua capacidade de stealth.

H-6K e suas armas

“Com a China desenvolvendo armas hipersônicas (mísseis que voam pelo menos cinco vezes a velocidade do som) nos últimos anos, seu alcance e velocidade de ataque podem se tornar ainda maiores que um míssil de cruzeiro convencional, potencialmente capaz de atingir alvos em territórios hostis em poucos minutos”, Wang previu.

Assumindo que cada H-6K possa transportar seis mísseis, 10 bombardeiros podem atacar até 60 centros militares vitais, o que poderia destruir o inimigo, disse ele.

A CCTV também informou que os jatos de combate J-20 da Força Aérea têm conduzido exercícios aéreos de combate em escala real, além do alcance visual.

O J-20 poderia fazer parceria com o H-6K e limpar o céu abatendo alvos aéreos hostis, como aeronaves de alerta antecipado e aeronaves-tanque, enquanto o H-6K destruiria centros terrestres como centros de comando e posições de mísseis, segundo Wang.

Os H-6K estão passando por freqüentes treinamentos em cenários de combate, juntamente com aeronaves de alerta antecipado e jatos de combate, informou a CCTV.

Em 2018, as cargas de munições que os H-6K usaram em exercícios foram várias vezes maiores que nos últimos anos, segundo o relatório.

Caças J-20 com mísseis ar-ar à mostra

FONTE: Global Times via Poder Aéreo

Nenhum comentário:

Postar um comentário

DESTAQUE

Primeiro caça Gripen da FAB já está a caminho do Brasil

Primeiro Gripen E da Força Aérea Brasileira – Foto: Saab O primeiro caça F-39 Gripen E brasileiro já deixou a Suécia a bordo de um navio mer...