Marinha do Brasil na Operação UNITAS LX – 2019

Porta-Helicópteros Multipropósito “Atlântico” (A-140) e Navio Doca Multipropósito “Bahia” (G40) - Foto: Marinha do Brasil

Por Anderson Gabino

A Marinha do Brasil (MB) por meio da 2ª Divisão da Esquadra (Div-2) realizará, no período de 19 a 30 de agosto, na área marítima adjacente ao Rio de Janeiro, a 60ª edição da Operação UNITAS (UNITAS LX/2019).

A UNITAS é o exercício marítimo multinacional mais antigo organizado pelos Estados Unidos (EUA), sendo este realizado desde 1959. O exercício tem como foco principal aumentar a interoperabilidade entre as Marinhas, dos EUA e dos países Latinos, além de estreitar os laços de cooperação e amizade entre elas.


Na edição de 2019, o exercício está dividido em duas etapas: marítima (UNITAS LANT) e anfíbia (UNITAS AMPHIBIOUS), que será responsável por finalizar a operação com uma simulação de ajuda humanitária, a partir de uma operação anfíbia, na Ilha da Marambaia.

A UNITAS 2019 contará com a participação de unidades navais, aeronavais, aéreas e de Fuzileiros Navais. Integrarão o exercício, além do Brasil, meios e delegações da Argentina, Chile, Colômbia, Equador, EUA, México, Panamá, Paraguai, Peru e Reino Unido. A operação será composta de três fases:

Fase 1


  • Dia 19 de agosto, na Base Naval do Rio de Janeiro (BNRJ): Cerimônia de Abertura, Coletiva de Imprensa e Reunião com a Imprensa;

Fase 2


  • Fase de porto (19 a 22 de agosto), ocorrerá uma série de eventos pré-comissão, tais como: reuniões de coordenação entre as Marinhas participantes, ação cívico-social (COMREL/ACISO), entre outras atividades;

Fase 3


  • Fase de mar (22 a 30 de agosto), serão executados exercícios referentes às tarefas do Poder Naval, contemplando ações de superfície, aérea, de guerra eletrônica e operações de interdição marítima.

Todos os exercícios ocorrerão de forma a contribuir para a manutenção do nível de adestramento dos meios da Esquadra e para o incremento da cooperação e estreitamento dos laços de amizade entre a MB e as demais marinhas.

Coordenação

O Grupo-Tarefa (GT) brasileiro, será comandado pelo contra-almirante LUIZ ROBERTO CAVALCANTI VALICENTE, comandante da Div-2, que utilizará o Porta-Helicópteros Multipropósito “Atlântico” (A-140) como capitânia do GT, e será composto pelos seguintes navios:


  • Navio Doca Multipropósito “Bahia” (G40);
  • Fragatas “Constituição” (F42), “Liberal” (F43) e “Rademaker” (F49);
  • Navio-Patrulha Oceânico “Apa” (P121);
  • Navio de Apoio Oceânico “Purus” (G152);
  • Navio Patrulha “Guaporé” (P45);
  • Navio-Patrulha “Macaé” (P70); e
  • Submarino “Tupi” (S30).

O GT contará ainda com um Destacamento de Mergulhadores de Combate (MEC) e com o apoio das seguintes aeronaves da MB:

Helicópteros


  • UH-15 “Super Cougar”; SH-16 “Seahawk”; AH-11 A/B “Super Linx”; e UH-12 “Esquilo”;

Asa Fixa


  • Caça AF-1 “Skyhawk”.

Além das aeronaves P-3AM Orion; P-95 “Bandeirante Patrulha”; e H-36 “Caracal”, da Força Aérea Brasileira (FAB).

A Operação conta também com a participação dos seguintes meios das Marinhas Estrangeiras:

Estados Unidos


  • Navio de Desembarque-Doca USS Carter Hall (LSD-50), com 15 Amphibious Assault Vehicles (AAVs) e um Landing Craft Utility (LCU) embarcados, bem como uma aeronave de Patrulha Marítima e Antissubmarino P-8 Poseidon, operando a partir do solo;

Armada Argentina


  • Navio de Transporte ARA Bahía San Blas e Fragata ARA Almirante Brown, com uma aeronave AS 555 Fennec embarcada; e

Marinha de Guerra do Peru


  • Corveta BAP Ferré.


A UNITAS LX – 19 mobilizará, ao todo, 10 navios brasileiros e quatro de países amigos, diversas aeronaves de asa fixa e rotativa, um grupo de controle do exercício, CESCG (Combined Exercise Scenario Control Group), além dos apoios em terra, contabilizando mais de 3.000 militares envolvidos na operação.

Imagem ilustrativa

Com informações da Div-2

FONTE: DefesaTV

Nenhum comentário:

Postar um comentário

DESTAQUE

Primeiro caça Gripen da FAB já está a caminho do Brasil

Primeiro Gripen E da Força Aérea Brasileira – Foto: Saab O primeiro caça F-39 Gripen E brasileiro já deixou a Suécia a bordo de um navio mer...