Lançamento do míssil MANSUP III foi remarcado para o dia 10 de julho contra o casco do ex-RbAM Tridente


MANSUP saindo lançador no primeiro lançamento em 27 de novembro de 2018


O terceiro lançamento do Míssil Antinavio Nacional de Superfície (MANSUP) foi remarcado para o próximo dia 10 de julho, contra o ex-Rebocador de Alto Mar (RbAM) Tridente.

O lançamento que deveria ter ocorrido no dia 18/6 contra o casco da ex-corveta “Inhaúma” foi cancelado, devido a uma falha que impediu que a tampa do casulo fosse ejetada.

O MANSUP é um projeto estratégico da Marinha do Brasil e deverá equipar os futuros navios da esquadra Brasileira.

Além de dotar a armada brasileira de mísseis antinavios nacionais, atendendo às suas necessidades operacionais, o Programa MANSUP da Marinha tem o objetivo de garantir ao Brasil o domínio e a autonomia tecnológica em todo o ciclo de vida de armamentos desta classe, desde o desenvolvimento até a operação e a manutenção, em parceria com a indústria nacional de defesa.

A nacionalização dos componentes do armamento conta com o apoio da Fundação Ezute – responsável pela gestão dos requisitos técnicos do míssil, da interface entre todos os subsistemas e das atividades de validação dos componentes do projeto e da Avibras, Mectron, Omnisys e do Centro Tecnológico da Marinha em São Paulo.

Na etapa final do projeto, a Sistemas Integrados de Alto Teor Tecnológico (SIATT) assinou com a Marinha do Brasil em dezembro de 2017, através da Diretoria de Sistemas de Armas da Marinha (DSAM), o contrato do Míssil Antinavio Nacional de Superfície (MANSUP).

O MANSUP é um míssil antinavio do tipo superfície-superfície, ou seja, para lançamento a partir de navios. É do tipo “sea skimming” de voo rente ao mar (em velocidade transônica), sendo propulsado por motor-foguete com propelente sólido, e segundo a empresa terá alcance máximo de aproximadamente 70km. O desempenho do míssil antinavio nacional é equivalente ao do Exocet Block 2 francês.

A guiagem é inercial, com radar ativo na fase terminal e, ainda segundo a SIATT, terá capacidade de operação em quaisquer condições climáticas.

O engenheiro Antônio Rogério Salvador, diretor da SIATT, em entrevista durante a LAAD Defence & Security 2019, informou que a Marinha tem também um plano de desenvolver uma versão lançada do ar do míssil antinavio nacional.

Segundo o engenheiro, a versão lançada do ar conhecida como MANAER, será empregada nos helicópteros UH-15B (H225M) Super Cougar.

Ele também disse que um terceiro passo será o desenvolvimento de uma versão lançada de submarino, como o SM39 Exocet empregado nos submarinos da classe Riachuelo.


Casco do ex-Rebocador de Alto Mar (RbAM) Tridente na BNRJ (Base Naval do Rio de Janeiro) já pintado para ser usado como alvo do MANSUP III

ASSISTA ABAIXO AO VÍDEO DO SEGUNDO LANÇAMENTO DO MANSUP

Nenhum comentário:

Postar um comentário

DESTAQUE

Primeiro caça Gripen da FAB já está a caminho do Brasil

Primeiro Gripen E da Força Aérea Brasileira – Foto: Saab O primeiro caça F-39 Gripen E brasileiro já deixou a Suécia a bordo de um navio mer...