Portal Especial sobre a vida, as obras e os valores de Santos Dumont

31 outubro 2023

Adestramento integra elementos de artilharia e de manobra em Simulador de Apoio de Fogo


Rio de Janeiro (RJ) – Integrantes da Brigada de Infantaria Pára-quedista realizaram a Operação Condor III – Fogos, exercício de adestramento de artilharia com Simulador de Apoio de Fogo. Os militares realizaram o planejamento e coordenação de fogos durante a Operação, atividades essenciais para a integração da artilharia com os demais elementos de manobra em operações militares. O exercício aconteceu na Academia Militar das Agulhas Negras nos dias 24 e 25 de outubro.

A artilharia paraquedista tem missão de prover apoio de fogo em operações aeroterrestres na conquista e manutenção de cabeças de ponte aérea. Por isso, o 8º Grupo de Artilharia de Campanha Pára-quedista se destaca pela mobilidade e a versatilidade. São utilizados obuseiros de calibres leves, o que facilita o transporte por aeronaves e o lançamento por paraquedas.

Além dos militares de Artilharia, a Operação Condor III – Fogos mobilizou diferentes organizações militares da Brigada Pára-quedista, utilizando a alta tecnologia do Simulador de Apoio de Fogo para incrementar o nível de realismo para os militares que desempenham diferentes funções em missões aeroterrestres. A simulação mobiliou centros de coordenação de apoio de fogo em todos os níveis. A sinergia entre os elementos de artilharia, de manobra e as diferentes especialidades paraquedistas foi essencial para o sucesso da Operação e enriqueceu as discussões doutrinárias de operações aeroterrestres.

Simulador de Apoio de Fogo


O Simulador de Apoio de Fogo é capaz de treinar todos os subsistemas da Artilharia de Campanha – meteorologia, topografia, observação, busca de alvos, logística, comunicações, direção e coordenação de tiro e linha de fogo – em uma tríplice vertente: ensino, adestramento e doutrina. Além de facilitar o adestramento, o Simulador representa uma grande economia de recursos, especialmente em termos de consumo de munição e combustível. Além disso, são reduzidos os riscos de segurança, o desgaste de materiais e os impactos ambientais. Por meio do simulador, os militares conseguem se preparar para uma execução mais eficiente durante as fases de tiro real.









Imagens: 8º GAC Pqdt
FONTE: 8º Grupo de Artilharia de Campanha Pára-quedista

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Leia também