Publicidade

23 setembro 2022

VBC Cav – As cartas estão na mesa


Por Paulo Roberto Bastos Jr.*

Na quarta-feira, dia 21 de setembro, às 12:00 hs (horário de Brasília), encerrou-se o prazo para a entrega, ao Comando Logístico (COLOG) do Exército Brasileiro (EB), das propostas (“request for proposal” – RFP) para a aquisição de 98 viaturas blindadas de combate de Cavalaria média sobre rodas (VBC CAV – MSR) 8X8, e fomos informados que cinco modelos foram ofertados, sendo estes:

  • Centauro II;
  • LAV 700;
  • ST-1BR;
  • Eitan; e
  • Kestrel.

CIO Centauro II


Imagem do CIO Centauro II em testes de tiro com a torre à 90º (Foto: CIO)

Desenvolvido pelo o Consórcio Iveco-Oto Melara (CIO), uma “joint venture” entre as italianas Iveco Defence Vehicles (IDV) e Leonardo Group, o Centauro II é considerado a referência em blindado caça-tanques sobre rodas, pois é o único desenvolvido especificamente para este fim e não uma viatura blindada de transporte de pessoal adaptada. Já está em produção seriada e operação pelo Exército Italiano.

A versão apresentada ao EB é a mesma que está entrando em operação no Exército Italiano, com as melhorias da versão 3.0, um peso aproximado de 30 toneladas e equipado com uma torre Leonardo HITFACT MkII de segunda geração, armada com um canhão de 120mm/L45. Esta mesma torre foi ofertada para a modernização das VBC CC Leopard 1A5 BR, cujo programa já foi aprovado.

Um dos trunfos é o fato de a IDV contar com uma unidade fabril no Brasil, na cidade de Sete Lagoas (MG), com capacidade comprovada de suporte logístico, assim como nacionalizar diversos componentes, padronizando-os com as viaturas da família Guarani.

GDLS-C / John Cockerill LAV 700


Concepção artistica da versão do LAV 700 AG do EB (Imagem: GDLS-C)

A General Dynamics Land Systems – Canada (GDLS-C), do grupo General Dynamics Defense (empresa proponente), em parceria com a empresa franco-belga John Cockerill (empresa subcontratada), está oferecendo o LAV 700. Desenvolvido, a partir do LAV 6.0 do Exército Canadense, é equipado com um motor mais potente, de 711 HP, e outras melhorias, para a Arábia Saudita que adquiriu 742 exemplares de diferentes versões para a Guarda Real Saudita.

Com praticamente as mesmas características dos blindados Stryker, utilizados pelo Exército dos Estados Unidos (US Army), o LAV 700 é um veículo moderno robusto e que possui, dentre outras coisas, proteção balística escalonável, casco duplo em “V” (para proteção contra explosões vindas da parte de baixo, como minas e artefatos explosivos improvisados), assentos que absorvem energia e sistema de alerta a laser.

A versão oferecida é a LAV 700 Assault Gun, a mesma que os sauditas já encomendaram 119 viaturas e que se encontra em serviço operacional, está equipada com a torre John Cockerill 3105, dotada de um canhão de 105mm/L53, e com um ângulo de elevação de 42° permite engajamento contra alvos em altas elevações como aqueles situados em topos de edifícios, eficientes em teatros de operações urbanas ou montanhosas, além de poder fornecer apoio de fogo à Infantaria, com tiros indiretos. Esta torre também está sendo oferecida para a modernização dos Leopard 1A5 BR.

NORINCO ST1-BR


O ST-1 Advantage mostrando a elevação de seu tubo (Foto: NORINCO)

A empresa chinesa North Industries Group Corp (NORINCO) apresentou o ST1-BR, versão customizada para os requisitos do EB do ST1 Advantage, que inicialmente foi chamado de ST-3, uma evolução do blindado ST1 105mm 8X8 Wheeled Tank Destroying Vehicle, modelo de exportação do ZBL-09 utilizado pelo Exército Chinês.

Essa viatura tem peso de combate de 24 toneladas, é a única com capacidade anfíbia dentre os candidatos e possui uma nova torre dotada de um canhão de 105mm/L52, versão chinesa da série L7 da Royal Ordnance, que também tem como diferencial uma grande capacidade de elevação de seu tubo.

Pertencente a família VN1, em operação em Forças armadas de cinco países, incluindo a Marinha da Venezuela e participando da concorrência VCBR da Argentina, a versão ST1 está em uso nos exércitos da China e da Nigéria, sendo que neste último tem participado ativamente em ações de combate contra o grupo terrorista Boko Haram.

Elbit / MANTAK Eitan


Concepção artística do Eitan com torre Elbit 105/120 (Imagem: Elbit)

A Elbit Systems, de Israel, através de sua subsidiária brasileira, a Ares Aeroespacial e Defesa, surpreendeu ao propor o Eitan, um blindado desenvolvido pelo MANTAK (“Merkava Tank Office”), como uma espécie de “Merkava sobre rodas”, graças ao alto grau de proteção blindada.

O EITAN MERKAVA WHEELED AV foi desenvolvido pela MANTAK, empresa ligada ao Ministério da Defesa de Israel e criada para o desenvolvimento da família de blindados Merkava, que se basearam nas tecnologias, metodologias e “know how” acumulado em 50 anos de experiência em desenvolvimento de blindados. Sua fase de projeto do veículo foi concluída em 2020 e os primeiros exemplares foram entregues às Forças de Defesa de Israel (IDF) em 2021, com mais de 300 viaturas encomendadas.

A versão proposta para o EB é a equipada com a nova torre Elbit 105/120, equipada com canhão de 105mm/L52, mas que poderá receber o canhão de 120mm/L45, para dois ocupantes e com carregamento automático, sendo que a empresa informou que também a torre entrou em produção e que já foi vendida para outros clientes, como as Filipinas, que deverá receber seus primeiros blindados este ano.

A torre Elbit 105/120 foi apresentada na Eurosatory 2022, montada em um GDELS Ascod II, na solução chamada de “Sabra Light” (Foto: Paulo Bastos)

De acordo com a empresa, tanto a viatura quanto a torre estão em produção seriada, mas ela não informou se o mesmo ocorre com a versão proposta.

Tata Kestrel


Outra grande surpresa apresentada foi o modelo Kestrel, da empresa indiana Tata Advanced Systems. Também conhecido como WhAP (Wheeled Armored Platform), trata-se de integrante de uma família de veículos blindados desenvolvida pela empresa com a DRDO (Defence Research and Development Organisation), principal agência de pesquisa e desenvolvimento do Ministério da Defesa indiano, para substituir os antigos blindados da era soviética. Até o momento foram apresentados versões armadas apenas com canhões de 30mm, com as torres Elbit UT30 Mk2 e a do blindado russo BMP-2.

Um dos protótipos do Tata Kestrel, equipado com torre Elbit UT30 Mk2 (Foto: DRDO)

A empresa participou do refinamento da Consulta Pública, mas sem incluir uma torre, e ainda não foram divulgadas informações da versão proposta ao EB.

Compensações e os próximos passos


Outro fato a se destacar é que todas as propostas trataram da produção local da munição de seu armamento principal (105 ou 120mm) como parte do pacote de “offset”, o que irá beneficiar não só a Força, mas também a base industrial de defesa do Brasil, em particular a IMBEL, além de outras, notadamente as produtoras de componentes de eletrônica embarcada e automotivos, com a nacionalização destes itens.

O COLOG terá até o próximo dia 07 de outubro para a análise das propostas e divulgação do “short list”, sendo que, até o dia 30 de setembro, as empresas desclassificadas em decorrência de alguma “não-conformidade” (caso ocorra) deverão ser notificadas.

A previsão para definição do vencedor é dia 25 de novembro deste ano e a assinatura do contrato nos dias 28 ou 29 de novembro.


Façam suas apostas!




Copyright © 2022 todos os direitos reservados

Nenhuma parte desta publicação pode ser reproduzida ou transmitida em qualquer forma ou por qualquer meio, eletrônica ou mecanicamente, exceto nos termos permitidos pela lei, sem a autorização prévia e expressa do titular do direito de autor.



FONTE: Tecnologia & Defesa

*Sobre o Autor: Paulo Roberto Bastos Jr.
Engenheiro de automação e Pesquisador militar, especialista em blindados e forças motomecanizadas da América Latina e Caribe.


Nota do Defesa Brasil Notícias: Matéria reproduzida com autorização do autor.

Nenhum comentário:

Postar um comentário