Publicidade

18 agosto 2022

General Santos Cruz deve chefiar missão de apuração dos fatos na Ucrânia

General brasileiro já comandou duas missões de paz das Nações Unidas - Sylvain Liechti

Por Sylvain Liechti


Secretário-geral da ONU António Guterres disse que iniciativa ocorre a pedido dos governos da Ucrânia e da Rússia para investigar o que realmente ocorreu no Centro de Detenção de Olenivka, em 29 de julho, após uma explosão matar dezenas de prisioneiros de guerra.

O general da reserva Carlos Alberto dos Santos Cruz foi escolhido pelas Nações Unidas para liderar uma missão de apuração dos fatos na Ucrânia.

O anúncio do nome do brasileiro Santos Cruz foi feito pelo secretário-geral da ONU, António Guterres, durante uma conversa com jornalistas ao lado do presidente da Ucrânia, Volodymyr Zelensky, e do presidente turco Recep Tayyip Erdogan, na cidade de Lviv, nesta quinta-feira.

Guterres quer acesso para a Cruz Vermelha ao local


De Brasília, Santos Cruz disse à ONU News que se sentiu muito honrado por ter seu nome considerado por Guterres.

“Eu tomei conhecimento agora de que o secretário-geral da ONU considerou o meu nome para cumprir uma tarefa na Ucrânia. Eu fico muito honrado e tenho a certeza de que os companheiros que irão também ser selecionados pelas Nações Unidas são pessoas da mais alta qualidade, e isso é uma grande garantia para o nosso trabalho, para que possamos ter um resultado positivo sobre o assunto que vai ser tratado.”

O general brasileiro já comandou duas missões de paz das Nações Unidas, a Minustah, no Haiti, e a Monusco, na República Democrática do Congo, na África.

Ele também produziu um relatório, conhecido como Santos Cruz Report, sobre o funcionamento de missões de paz pelo mundo.

Guterres afirmou que o que aconteceu no centro de detenção foi inaceitável. Ele lembrou que todos os prisioneiros de guerra têm de ser protegidos sob a Lei Humanitária Internacional.

O chefe da ONU também afirmou que a Cruz Vermelha precisa ter acesso aos detentos.


Oficial respeitado com mais de 40 anos de experiência em segurança



A missão de apuração dos fatos, a ser liderada pelo general brasileiro, foi um pedido dos governos da Ucrânia e da Rússia à ONU.

Os termos de funcionamento da missão serão compartilhados com ambos os países assim como a configuração da equipe.

General Santos Cruz diz que outros selecionados pelas Nações Unidas são pessoas da mais alta qualidade - ONU/Sylvain Liechti

Ao mencionar sua intenção de nomear Santos Cruz, Guterres disse que o militar é um oficial respeitado com mais de 40 anos de experiência em segurança pública e militar incluindo o comando de missões de paz.

Para o secretário-geral, é preciso continuar obtendo as garantias necessárias para o acesso seguro aos sítios e locais relevantes para a apuração do que ocorreu em 29 de julho.

Ele finalizou dizendo que uma missão de apuração dos fatos deve ser livre para encontrar os fatos, e que a equipe tem que poder recolher e analisar a informação necessária.
De forma segura e com acesso irrestrito às pessoas e às evidências sem interferência de nenhum lugar.

E segundo Guterres, a ONU continuará cooperando para fazer sua parte.

FONTE: ONU News

Um comentário: