Publicidade

22 julho 2022

Arsenal de Guerra do Rio inicia a manufatura de componentes em impressora 3D


Rio de Janeiro (RJ) – O Arsenal de Guerra do Rio (AGR), diretamente subordinado à Diretoria de Fabricação (DF), produziu a primeira peça funcional a partir do processo de manufatura aditiva por impressão 3D.

Durante o processo de manutenção dos rádios PRC-910, levantou-se a demanda por peças que não existiam em estoque e não eram mais fornecidas pelo fabricante, impedindo avançar no trabalho de manutenção.

Em face desse desafio, o corpo técnico do AGR, composto por Engenheiros Militares e Técnicos (Sargentos e Servidores Civis), conseguiu desenvolver e fabricar peças impressas em 3D, com aplicabilidade funcional aos rádios PRC-910, aumentando, sobremaneira, o índice de manutenção do equipamento.

A impressão 3D, também conhecida como manufatura aditiva, é um método de produção a partir de um modelo digital, no qual uma peça é produzida pela adição de camadas sucessivas de material. Esse método está em crescente expansão no mundo, principalmente devido a algumas vantagens que apresenta frente a outros métodos tradicionais de fabricação, como a facilidade de criação de protótipos, de produção de peças de geometria complexa e de personalização de peças.

Como objetivos futuros, o AGR vem pesquisando a manufatura aditiva metálica, para implementar em sua linha de produção, com grandes possibilidades de aplicação na fabricação e manutenção de Materiais de Emprego Militar e Materiais de Engenharia.

Essa é a vocação do Arsenal de Guerra do Rio, sempre na vanguarda das soluções tecnológicas para produção de Materiais de Defesa.








Fotos: Sd Pessoa
FONTE: Arsenal de Guerra do Rio

Nenhum comentário:

Postar um comentário