Publicidade

14 junho 2022

Exército investe em novos equipamentos de proteção


Brasília (DF) - No intuito de estar preparado para defender o País, o Exército Brasileiro tem investido no aprimoramento do seu pessoal e na aquisição de modernos meios de emprego militar. Isso inclui a atualização dos uniformes usados pela tropa.

Nesse contexto, a Força Terrestre adotou, desde o início de 2022, uma nova modelagem de fardamento, o qual contempla um novo dispositivo de bolsos, bem como ajustes mais operacionais ao corpo, por exemplo. Essas mudanças serão introduzidas progressivamente e estão inseridas no escopo do Projeto Sistema Combatente Brasileiro (também conhecido por “Projeto COBRA”), o qual visa prover maior letalidade, proteção e capacidade de comando, controle e sensoriamento aos guerreiros do Brasil.



Assim, o novo fardamento é um produto estratégico de Defesa que poderá conter filtro UVA/UVB, proteção contra chamas, proteção bacteriológica contra odores, dentre vários outros importantes recursos.

Os coturnos do Exército Brasileiro também estão passando por um importante processo de modernização. A atual modelagem, na sua maioria concebida na cor preta, reflete muito brilho e acumula muito calor. Tais características prejudicam o conforto de quem os usa, além de comprometer a camuflagem dos mesmos diante dos modernos aparelhos de visão termal. Dessa maneira, o Exército tem buscado reformular os mesmos e para tanto concebeu novos modelos.


Tais coturnos serão mais confortáveis e estão sendo avaliados em três padronagens: marrom para as tropas paraquedistas, verde para as tropas que atuarão na Amazônia e no Pantanal e “Coyote” (bege) para as tropas convencionais.

Coletes e capacetes balísticos


Ainda no escopo do projeto COBRA, o Exército Brasileiro tem adquirido coletes balísticos do tipo “Plate Carrier”, o qual detém uma placa de kevlar a frente, à retaguarda e nas laterais do combatente. Da mesma maneira, foram adquiridos capacetes balísticos modulares, os quais, dotados de proteção nível III-A, possibilitam o implemento de vários meios optrônicos, como um monóculo de tecnologia brasileira. Tais itens proporcionam ao militar que os usa boa resistência à tiros, estilhaços e ataques com facas, por exemplo.


Os demais itens do equipamento do militar também são muito importantes, visto que atuam de maneira sinérgica com o uniforme e a proteção balística do combatente que os usa. Logo, o Exército Brasileiro tem adquirido grande quantidade de acessórios que compõem uma verdadeira “armadura do soldado moderno”. Assim, pode-se destacar itens como a mochila de assalto ou o coldre de polímero, todos de fabricação nacional. As equipagens são de fácil uso e, na maioria dos casos, são acopladas ao equipamento pelo sistema “Molle”, o que confere boa flexibilidade e modularidade ao aprestamento.

Nenhum comentário:

Postar um comentário