Publicidade

30 maio 2022

“Operação Fortaleza” acontece até o dia 1º de junho no Ceará

Operação entre a Marinha do Brasil e a Marinha e o Exército da França reforça a capacidade de atuação combinada



Por Segundo-Tenente (RM -T) Thaís Cerqueira Francisco - Fortaleza, CE

A Marinha do Brasil (MB), juntamente com a Marinha Nacional da França e o Exército de Terra francês exercitam a interoperabilidade, capacidade de operar de maneira combinada, por meio da “Operação Fortaleza”, que iniciou no dia 28 de maio e será realizada até o dia 1o de junho, na região metropolitana de Fortaleza. O exercício tem como propósito incrementar a capacitação dos militares envolvidos, contribuir para a política externa do País e aumentar a segurança marítima no Atlântico Sul.

A operação é uma oportunidade para reforçar a interoperabilidade das forças armadas envolvidas, como afirma o Capitão de Mar e Guerra (Fuzileiro Naval) Luís Felippe Valentini da Silva, Comandante da Tropa de Desembarque. “O exercício nos permite elevar o nível de integração, uma vez que a preparação para uma Operação Anfíbia combinada - envolvendo meios brasileiros e franceses na projeção de poder, de caráter naval, do mar para a terra - exige um intenso intercâmbio de técnicas, táticas e procedimentos. É importante ressaltar que apesar do período de treinamento ser inferior a uma semana, o planejamento da operação está em desenvolvimento desde abril”.

Militares franceses fazem treinamento com Carro Lagarta Anfíbio da Marinha do Brasil - crédito: 1SG (MO) P Johson

A importância do treinamento também se dá por sua localização. É uma maneira para a Marinha e especialmente para a Força de Fuzileiros da Esquadra testarem sua capacidade expedicionária e logística, já que foram deslocados diversos meios do Rio de Janeiro até Fortaleza, percorrendo assim uma distância superior a 2.500 km, como lembra o comandante Valentini. “A Operação Anfíbia, por natureza, é uma operação de grande complexidade, por envolver meios navais, Carros Lagarta Anfíbios (CLAnf) e efetivos de fuzileiros navais”, lembra.

Durante o dia de ontem (28) estiveram presentes a Embaixadora da França no Brasil, Sra. Brigitte Collet e o Comandante do Exército Francês (Chef d'état-major de l'Armée de terre), General Pierre Schill, que acompanhou todo o treinamento com os CLAnf.

Nos próximos dias ocorrerão diversos treinamentos como sobrevivência, oficina de explosivos, obstáculos, patrulha urbana e tiro. No dia primeiro de junho será realizada uma operação anfíbia na praia Mansa envolvendo navios e fuzileiros navais brasileiros e franceses.

O exercício conta com a participação de mais de 450 militares das duas nacionalidades, além dos seguintes meios: Porta-Helicópteros Anfíbio (PHA) "Mistral" e Fragata "Courbet", da Marinha Nacional da França, Navio-Patrulha Oceânico “Araguari” e CLAnf, da Marinha do Brasil.

Galeria de fotos:

Abertura da “Operação Fortaleza” a bordo do Navio Porta-Helicópteros Anfíbio “Mistral”, da França - crédito: 1SG (MO) P Johson

Militares franceses embarcando no CLAnf após instrução de segurança feito por militar brasileiro - crédito: 1SG (MO) P Johson

Militares brasileiros e franceses em Fortaleza (CE)

Exercício ocorre em Fortaleza até o dia 1º de junho

Um comentário:

  1. Só os Fuzileiros do Rio de Janeiro possuem equipamentos modernos, os Batalhões de Salvador,Fortaleza e Belém estão esquecidos...

    ResponderExcluir