11 junho 2021

Meios da Esquadra realizam lançamento real de armas em alvo

Lançamento de míssil superfície-superfície EXOCET MM-40, pela Fragata “Independência”

Durante a primeira semana de junho, navios e aeronaves da Esquadra realizaram o lançamento de armas sobre um alvo de superfície, na área marítima oceânica entre o Rio de Janeiro e Cabo Frio (RJ), com o propósito de manter elevado o grau de proficiência das suas tripulações e sistemas de combate.

Desta vez, o alvo foi o casco do ex-Navio de Desembarque Doca “Ceará”, considerado de grande porte, que foi rebocado pelo Navio de Apoio Oceânico “Purus” (G152) desde a Base Naval do Rio de Janeiro até a área do exercício, localizada a uma distância segura da costa.

Participaram da operação o Navio de Socorro Submarino “Guillobel” (K120), o Submarino “Tupi” (S30), o Navio Doca Multipropósito “Bahia” (G40) e as Fragatas “Independência” (F44) e “Liberal” (F43). A missão contou, também, com a participação dos helicópteros “Lince” (AH-11B), “Águia” (UH-12) e “Guerreiro” (SH-16) e dos aviões “Falcão” (AF-1B/C).

Casco do ex-NDD “Ceará” sendo atingido por bombas BAFG-230, lançadas pelas aeronaves AF-1B/C (Falcão)

Os meios da Esquadra empregaram diferentes tipos de armamento, incluindo torpedos, mísseis superfície-superfície, bombas e metralhadoras de aeronaves e canhões das fragatas, culminando com o afundamento do alvo, em decorrência dos impactos provocados pelo armamento.

A Operação se reveste de elevada importância para a Marinha, pois permite verificar concretamente a eficácia dos sistemas de armas de nossos navios e aeronaves, responsáveis por assegurar a soberania do Brasil no mar.

Nenhum comentário:

Postar um comentário