Motor RM12: Suporte ao Gripen por mais de 300 mil horas de voo

Motor RM12 que equipa o Gripen

Para uma aeronave monomotor, a segurança do motor é de suma importância. Portanto, quando a Volvo Aero (agora GKN Aerospace) foi contratada para desenvolver ainda mais o motor F404 da General Electric (que antes só havia sido usado em aviões bimotores), conforme o primeiro requisito do Gripen na década de 1980, ela teve que reprojetar o motor para aumentar sua confiabilidade e potência.

O resultado da grande reformulação foi o RM12, um motor que atendeu a todos os requisitos de missão do Gripen, a um baixo custo de ciclo de vida. O RM12 também se vangloriava de um design relativamente mais simples e menor peso comparado ao seu antecessor. Com este poderoso motor, o Gripen voou por mais de 300.000 horas até agora, sem nenhum acidente relacionado ao motor.

“É verdadeiramente único e um grande atrativo para a Volvo Aero”, diz Robert Johannesson, gerente comercial da GKN Aerospace, com um passado nas Forças Armadas.

A GKN Aerospace é fornecedora de motores de caça para as forças armadas suecas desde 1930. A empresa hoje possui o certificado de tipo RM12, o que significa que é responsável pelo suporte ao produto durante toda a vida útil do motor. Os operadores do Gripen enviam seus motores para as instalações da GKN Aerospace em Trollhättan para serviços e manutenção.

RM12

“Temos uma oficina de manutenção muito precisa e essa é outra razão pela qual o RM12 nunca falhou. Quando se trata de serviço, não apenas examinamos o módulo específico que apresentou problemas, mas também verificamos todo o motor. Isso significa que detectamos erros que nem sequer foram descobertos pelo cliente ”, diz Robert Johannesson.

Em 2017, o motor RM12 alcançou outro marco ao demonstrar um excelente desempenho com biocombustível 100% renovável. O motor teve um bom desempenho tanto em voo quanto em terra.

A última variante do Gripen, o Gripen E, é equipado o sucessor do RM12, RM16. A GKN Aerospace também será responsável pela fabricação e pelo suporte ao produto do motor sucessor.

“A razão pela qual temos confiança para sermos responsáveis ​​pela manutenção do RM16 é em grande parte porque comprovamos nossa capacidade com o RM12. A Força Aérea está satisfeita com o suporte ao produto que possuímos e deseja o mesmo suporte para o RM16. O Gripen com o RM12 foi uma das aeronaves exportadas mais bem-sucedidas de todos os tempos. Espero que possamos continuar nesse caminho glorioso também com o RM16 “, conclui Robert Johannesson.

FONTE: Gripen Blog via Poder Aéreo

Nenhum comentário:

Postar um comentário

DESTAQUE

Primeiro caça Gripen da FAB já está a caminho do Brasil

Primeiro Gripen E da Força Aérea Brasileira – Foto: Saab O primeiro caça F-39 Gripen E brasileiro já deixou a Suécia a bordo de um navio mer...