Rússia confirma desenvolvimento bombardeiro com capacidade nuclear

Aeronave furtiva está sendo desenvolvida para voar por até 30 horas e ter condições de ser 'invisível' aos radares inimigos


Futuro bombardeiro PAK-DA adota conceito similar ao existente nos atuais B-2 norte-americanos

Por Gabriel Benevides

O Ministério da Defesa da Rússia assinou um contrato com a Tupolev para iniciar a produção de um bombardeiro furtivo com capacidade nuclear. O avião deverá substituir os atuais bombardeiros operacionais TU-22M3, TU-95 e TU-160.

Batizado atualmente de PAK-DA, a aeronave é um bombardeiro furtivo de longo alcance que pode levar mísseis e bombas convencionais, ou artefatos nucleares.

“O Ministério da Defesa da Federação Russa assinou todos os contratos necessários para iniciar a produção do bombardeiro de longo alcance PAK-DA. Os testes de voo da aeronave estão programados para 2027”, disse o vice-chefe do departamento Alexey Krivoruchk.

Ainda que a Rússia tenha divulgado poucas informações sobre o programa, as informações preliminares apontam que o avião terá capacidade para voar por até 30 horas, podendo operar em ambientes com temperaturas extremas, variando de clima desértico até as gélidas bases no inverno siberiano.

O programa teve seu início formal em 2014, quando a United Aircraft Corporation (UAC) anunciou que a Tupolev havia concluído o design intermediário do futuro bombardeiro. No ano seguinte a KAPO (Kazan Aircraft Production Association), que produz parte da família Sukhoi, foi escolhida para a construção dos protótipos iniciais. O modelo final do projeto possivelmente foi finalizado em meados de 2017, quando os primeiros modelos de mock-up em tamanho real foram concluídos e apresentados aos militares.

“As características da aeronave foram acordadas, todos os documentos contratuais necessários para a produção de amostras foram assinados e os estágios de projeto preparatório estão em andamento”, disse Krivoruchko.


Por ora, se sabe que os motores devem ser os Kuznetsov NK-32 Tier 2, similares aos utilizados pelo Tu-160M2. Acredita-se que os ensaios de motores deverão ser concluídos no próximo ano, com uma possível definição final do conceito ocorrendo em 2022.

Algumas fontes militares colocam em duvidas o potencial do programa, visto que a Rússia acabou de assinar um grande contrato para os bombardeiros TU-160M2 e não se sabe ao certo quantas aeronaves PAK-DA serão produzidas. Um número limitado de avião deve pressionar os valores unitários, comprometendo o orçamento para o programa.

O PAK-DA é uma resposta aos futuros bombardeiros B-21 Raider, dos Estados Unidos, que devem substituir os atuais B-2 Spirit, estes últimos considerados os mais caros aviões de toda a história com valor ultrapassando os US$ 2 bilhões por unidade.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

DESTAQUE

Terceira aeronave KC-390 Millennium é incorporada à frota da FAB

Aeronave de matrícula FAB 2855 pousou neste sábado (27/06), na Ala 2, em Anápolis (GO) A Força Aérea Brasileira (FAB) recebeu, neste...